Brazil Conference 2017: evento reuniu mais de 100 palestrantes no MIT e em Harvard

Voltar para Blog, Notícias e Concursos

Brazil Conference 2017: evento reuniu mais de 100 palestrantes no MIT e em Harvard

A Brazil Conference surgiu através de uma iniciativa de alunos brasileiros das universidades vizinhas, Harvard e MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts). Os estudantes tinham o intuito de levar para esses grandes centros intelectuais os debates sobre como solucionar os principais problemas do Brasil. O evento aconteceu pela primeira vez em 2015, no aniversário de 30 anos da democracia brasileira.

Em 2017, a conferência foi realizada nos dias 7 e 8 de abril. Estiveram reunidos especialistas brasileiros e de outros países, e entre os organizadores estavam nosso professor e coordenador pedagógico Erik Navarro (Juiz Federal) e a professora Isabela Ferrari (Juíza Federal). O evento teve patrocínio oficial do Curso Ênfase, que disponibilizou links nas redes sociais, para que os seguidores acompanhassem as transmissões ao vivo.

Durante os dois dias do evento, o público teve a oportunidade de assistir a renomados intelectuais brasileiros e internacionais discursando e propondo soluções para problemas do Brasil. Personalidades com pontos de vista discordantes estiveram lado a lado, compartilhando opiniões em prol de um objetivo comum, fazendo jus ao tema “Diálogo que conecta”.

No primeiro dia do evento, os participantes puderam conferir a palestra de abertura com Marina Silva, fundadora da Rede Sustentabilidade (partido político). Em uma de suas declarações, Marina afirmou que um dos fatores que dificultam o debate público no Brasil é a atribuição de rótulos a pessoas que têm posições divergentes. Marina também disse ainda que a Lava Jato está efetivamente realizando uma reforma política e deverá fortalecer o respeito às leis, acabando com a expectativa de impunidade.

Também foi destaque na abertura do evento o professor de Harvard Dan Shapiro, embaixador dos Estados Unidos em Israel no governo Barack Obama, com o tema: ”Como criar pontes entre pessoas com diferentes perspectivas?”

O ministro Gilmar Mendes, do STF, durante a palestra sobre reformas estruturais no financiamento de campanhas, falou sobre a urgência de se realizar uma reforma política até o dia 2 de outubro, prazo para que as regras passem a valer nas próximas eleições presidenciais. Segundo o ministro, se a reforma não ocorrer antes das eleições de 2018, o Brasil poderá ser entregue ao crime organizado e instituições que têm modo próprio de financiamento.

Na programação do primeiro dia do evento, no painel “Reformas Sociais no Brasil”, estavam presentes o vereador Eduardo Suplicy e o filósofo Olavo de Carvalho. Em sua fala, Eduardo Suplicy citou a renda básica da cidadania, projeto que propõe uma renda mínima para todos os cidadãos (ricos e pobres), inclusive estrangeiros residentes no Brasil há mais de cinco anos. O projeto recebeu aprovação de Olavo de Carvalho, que afirmou que o maior desafio é definir quem poderia financiar essa renda mínima. O filósofo também elogiou a iniciativa das universidades, de unir polos que nem sempre dialogam no Brasil. Ao lado dos dois, estava o cientista político brasileiro Hussein Kalout, secretário especial da Secretaria de Assuntos Estratégicos do governo Temer, e Pedro Henrique de Cristo, mestre em políticas públicas por Harvard, que atuou como moderador.

Também estiveram presentes no dia 7, o jogador Kaká, que falou sobre jogadores brasileiros nos Estados Unidos e o apresentador Luciano Huck, que durante sua palestra, ressaltou a importância de identificar lideranças da nova geração e dar a elas visibilidade na vida pública.

A programação trouxe ainda uma entrevista feita por Nitin Nohria, reitor da Harvard Business School, com Jorge Paulo Lemann, fundador da 3G Capital e um dos empresários mais respeitados do Brasil. O dia encerrou com o painel sobre música e cultura brasileira, que teve como destaque Gilberto Gil (ministro da Cultura de 2003 a 2008) e o músico Yamandu Costa.

No dia 8 de abril, segundo dia do evento, outras relevantes personalidades do cenário político, econômico e social do Brasil estiveram presentes. No painel sobre como valorizar a marca BRASIL, os participantes acompanharam palestras do publicitário Nizan Guanaes, Oskar Metsavaht (Fundador da Osklen) e Maria Alice Frontini (Presidente da Associação de Ex-Alunos Brasileiros do MIT).

Um importante momento que marcou a programação foi a palestra sobre o sistema carcerário no Brasil, que teve a presença de Gilmar Mendes (ministro do STF), Rafael Custódio (Conectas Direitos Humanos) e Rafael Barbosa (Defensor Geral do Estado do Amazonas). O debate foi moderado pela Professora do Curso Ênfase e Juíza Federal Isabela Ferrari, uma das organizadoras da Brazil Conference 2017.

Dilma Rousseff (presidente do Brasil de 2011 a 2016) foi outra convidada a palestrar no evento. Ela falou sobre democracia, eleições, sobre a Operação “Lava Jato” e o processo de impeachment.

No mesmo dia, a audiência da Brazil Conference assistiu à esperada entrevista que o professor e coordenador pedagógico Erik Navarro realizou com o Juiz Federal Sérgio Moro, que afirmou que o país tem de se orgulhar do combate à corrupção, e não se envergonhar por suas lideranças estarem envolvidos em ilícitos. O juiz criticou especialmente o caixa 2, que considera pior que o enriquecimento ilícito, por ter o efeito de intervir no resultado de uma eleição.

Ao ser questionado pelo Prof. Erik Navarro, Sérgio Moro defendeu o fim do foro privilegiado, inclusive para membros do Judiciário, e falou sobre temas como os problemas do sistema carcerário brasileiro e a liberação de drogas. Em relação a alternativas no combate às drogas, ele disse que a ainda tem muitas dúvidas sobre o que deveria ou não ser feito, pois não se sabe o resultado exato da descriminalização.

Sérgio Moro também falou sobre a responsabilidade do cargo e de suportar toda a situação na qual está envolvido. De acordo com o juiz, o custo do enfrentamento da profissão é significativo, e é grande o esforço institucional para fazê-lo. E concluiu: “O melhor é enfrentar isso de uma vez. O Brasil precisa virar essa página, mas para virar essa página, não pode ser ignorando o que aconteceu, tem que enfrentar esses problemas”.

A Brazil Conference 2017 trouxe valiosos debates acerca das dificuldades e dos desafios  do Brasil. Em mais uma edição, o evento mostrou que é possível unir esforços, ainda que envolvendo opiniões opostas, em busca de soluções para os problemas do nosso país. Estamos ansiosos para a Brazil Conference 2018!

Créditos das imagens: @lpinfocus

 

Compartilhe este post

Voltar para Blog, Notícias e Concursos