Carreiras Jurídicas: Procurador da República

Voltar para Blog, Notícias e Concursos

Carreiras Jurídicas: Procurador da República

Aos 31 anos de idade, João Paulo Lordelo já foi aprovado em 6 concursos (Procurador do Estado de Pernambuco, Analista do TRE-BA, Advogado da EMBASA, Defensor Público Federal – 7º colocação-, Juiz de Direito do TJ-BA), e hoje ocupa um dos cargos mais disputados na carreira jurídica: Procurador da República, no qual conquistou o 1º lugar no 27º concurso do MPF, em 2014. Formado em direito, pela Universidade Federal da Bahia, em 2009, achava que o sonho de ingressar no Ministério Público era impossível.

Porém, João nunca deixou de estudar e manter o foco no seu objetivo final:

 Encerrado o mestrado, voltei a estudar para concursos por cerca de dois anos para passar no MPF. Durante a faculdade, havia sido estagiário do Ministério Público e já conhecia bem as suas atividades. Além disso, desenvolvi meu mestrado na área de processo coletivo, objeto de minhas pesquisas até hoje, no doutorado, e tema caro ao MP”.

 

Hoje, o professor é realizado ocupando o cargo que sempre almejou:

 “O Ministério Público sempre representou para mim a possibilidade de trabalhar com o que gosto. Além disso, existe um ponto que sempre me motivou bastante: o fato de a atuação, no MPF, não ser “padronizada”. Para mim seria muito desagradável trabalhar a vida toda com casos repetitivos, padronizados e individuais. No MPF, consigo desenvolver o lado criativo na aplicação do Direito, o que mais me motiva. O sentimento de tédio passa longe do Ministério Público”.

 

 

SOBRE O CARGO DE PROCURADOR DA REPÚBLICA

 

Atribuições: O Procurador da República é um guardião dos interesses da sociedade, na área federal. A atuação do Ministério Público brasileiro é muito ampla e dinâmica, sempre na defesa dos interesses da sociedade como um todo. Seja como fiscal da ordem jurídica, seja como parte, atua na defesa dos direitos sociais, dos consumidores, direitos humanos, direito ambiental, direitos de comunidades tradicionais etc. No campo punitivo, investiga e promove ações penais na área criminal, bem como ações de improbidade administrativa, com vasto campo de atuação no âmbito do combate à corrupção. O Procurador da República também exerce a função de controle externo da atividade policial, realizando requisições e inspeções constantes, além da função eleitoral junto ao TRE e TSE.

O dia a dia de um procurador é bastante dinâmico e proativo. O membro do MP realiza audiências públicas, audiências internas, inspeções, audiências judiciais e reuniões. Além disso, representa o órgão em diversas instâncias colegiadas.

 

 

REQUISITOS:

 

·         Ser bacharel em ciências jurídicas.

·         Inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)

·         Nacionalidade brasileira, nato ou naturalizado.

·         Estar em dia com as obrigações eleitorais e militares.

·         Tempo de exercício de atividade jurídica de, no mínimo, 3 anos.

 

 

REMUNERAÇÃO: iniciais R$ 28.947,55 reais

 

 

DISCIPLINAS ESPECÍFICAS:

É necessário um conhecimento equilibrado de todas as disciplinas. Por conta de toda sua extensão e sua profundidade, as disciplinas de Direitos Humanos, Direito Internacional e Processo Penal exigem uma carga de estudos intensa, sendo o nível de cobrança bastante elevado nas provas.

 

ETAPAS DO CONCURSO:

O concurso é dividido em 3 etapas, são elas: Prova Objetiva, Dissertativa, Prova Oral.

O concurso de Procurador da República é bastante árduo, pois exige do candidato uma dedicação intensa em todas as fases do certame. Entretanto, isso não deve ser visto como algo ruim. Ao contrário, os concursos mais complexos permitem ao estudante dedicado se destacar nas provas.

 

E a mensagem que o Procurador da República João Lordelo deixa para àqueles que se preparam para o concurso público, é:

“Não pensem no MPF como algo distante de vocês. Visto que no MPF, tradicionalmente, a grande meta é atingir a pontuação mínima. Sobram vagas. Logo, a batalha é uma só: você contra o examinador. No meu concurso, quase desisti de ir fazer a prova objetiva, pois achava que estava longe do preparo necessário. É preciso desmistificar os concursos públicos em geral. Vocês nunca se sentirão suficientemente preparados para nenhum concurso, muito embora efetivamente o preparo venha naturalmente, com o tempo. Sigam uma rotina dedicada, conversem com aqueles que foram aprovados nos últimos concursos, e vocês perceberão que o cargo é acessível para todos aqueles dispostos a estudar de forma disciplinada. Uma vez iniciada a rotina de estudos, só há dois caminhos: ser aprovado ou desistir. Cabe a vocês a escolha!”

 

Siga o exemplo do João, seja você também um Procurador da República, nós preparamos você!


 

Conheça nosso Curso Regular Procurador da República!


Por: Miriam Moura


Compartilhe este post

Voltar para Blog, Notícias e Concursos