Dia Internacional das Crianças Desaparecidas: um alerta para toda a sociedade

Voltar para Blog, Notícias e Concursos

Dia Internacional das Crianças Desaparecidas: um alerta para toda a sociedade

25 de maio é o Dia Internacional das Crianças Desaparecidas, uma data que tem o objetivo de alertar a todos sobre questões relacionadas com o desaparecimento de crianças e adolescentes. Durante esta data, várias instituições que atuam em prol dos direitos da criança promovem atividades a fim de mobilizar a sociedade na tentativa de solucionar os milhares de casos de jovens desaparecidos. Em razão dessa data, o Curso Ênfase realizou uma entrevista especial com o professor de Direito da Criança e do Adolescente, Paulo Lépore.

Qual o propósito dessa data e o que ela representa para a sociedade?

Há 38 anos, no dia 25 de maio de 1979, desaparecia em Nova Iorque, no caminho do colégio, o menino Etan Patz, contando com apenas seis anos de idade. Desde então, parentes e familiares passaram a se reunir anulamente, na mesma data, para conscientização sobre o problema do desaparecimento de crianças e adolescentes. Tragicamente, Etan nunca foi encontrado, mas seus parentes e amigos deixaram um legado para todo o mundo: a atenção para o problema do desaparecimento de infantes.

Quais as principais ações, realizadas no Brasil e no mundo, para alertar a população sobre o desaparecimento de crianças e adolescentes?

Estima-se que, no mundo, cerca de 25 milhões de crianças e adolescentes desapareçam anulamente. No Brasil os desaparecimento chegam a 250 mil infantes por ano. Para que esses números sejam reduzidos, todos devem estar em permanente alerta. Pais e responsáveis devem olhar pelos seus filhos, além de orientá-los sobre o contato com estranhos. Por sua vez, as autoridades devem desenvolver ações de prevenção e combate a adoção irregulares e tráfico de pessoas. Os esforços devem ser de todos.

Qual o principal desafio para que casos de desaparecimento sejam solucionados?

O principal desafio é encontrar pistas. Há desaparecimentos fortuitos, mas também aqueles oriundos de ações minimamente orquestradas por organizações criminosas. Por essa razão, todos devem estar de olho. Movimentações estranhas, comportamentos estranhos de crianças com acompanhantes adultos, enfim, tudo deve ser notado e denunciado.

O que pode ser feito para prevenir casos de crianças e adolescentes desaparecidos?

As principais dicas para pais, responsáveis e educadores são as seguintes:

1. Ensinar nomes e endereços da criança e dos responsáveis; 2. Orientar a não dar informações a estranhos; 3. Fazer a carteira de identidade da criança e colocar cópias em seus pertences (carteira, bolsa, estojo, mochila escolar, etc.); 4. Orientar e prestar atenção no comportamento da criança, especialmente na internet; 5. Estar presente na vida do filho, saber de seus passos, com quem anda, seus anseios e ter sua confiança.

Paulo Lépore (Professor de Direito da Criança e do Adolescente e autor de livros)

Compartilhe este post

Voltar para Blog, Notícias e Concursos