Carreiras Jurídicas: Analista Judiciário

Voltar para Blog, Notícias e Concursos

Carreiras Jurídicas: Analista Judiciário

Jaime Barreiros é doutor em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia, professor da UFBA, Universidade Católica do Salvador, da Faculdade Baiana de Direito, da Escola dos Magistrados da Bahia e do Curso Ênfase. Ele graduou-se em Direito pela UFBA, em 2003, e em apenas dois meses de formado realizou o concurso para Analista Judiciário do TRE-BA, no qual foi aprovado.

 

“Eu estava estudando para ingressar no mestrado quando saiu o edital. Estudei dois meses, priorizando as disciplinas mais importantes, resolvendo questões de concursos anteriores. Fui aprovado.”

 

Para Jaime, a carreira é promissora, e ressalta:

 

“Muitas são as atividades possíveis de serem realizadas, tanto no âmbito estritamente jurídico como no plano administrativo. É possível conciliar o trabalho com outras atividades profissionais.”

 

 

 

SOBRE O CARGO DE ANALISTA JUDICIÁRIO

 

 

Atribuições:

 

A carreira de Analista Judiciário é regida pela Lei 11.416, de 15 de Dezembro de 2006. A adesão aos cargos é feita através de concurso público. Um analista judiciário realiza as atividades jurídicas relacionadas à administração do Tribunal, bem como pode também assessorar os juízes no exercício das atividades jurisdicionais, ou, no âmbito do TRE, chefiar cartórios eleitorais ou exercer outras atividades administrativas.

 

Eles são servidores públicos que fazem parte dos Quadros de Pessoal do Poder Judiciário da União e distribuídos nos Tribunais Regionais dos Estados e no Distrito Federal.  As atividades são semelhantes nos diversos tribunais onde é exercida a profissão. Exerce-se a função nos tribunais de justiça, tribunais eleitorais, do trabalho, militares e federais. O profissional deve sempre estar atualizado com a legislação e motivado a se submeter a mudanças e rotina.

 

Área Judiciária – Judiciária: A atividade é restrita aos Bacharéis em Direito. É dever deste analista cumprir e fazer cumprir as decisões judiciais, efetuar registro nos autos e movimentar os processos entre as diferentes instâncias. As atribuições dos analistas desta área estão diretamente ligadas a prestar suporte Técnico-Administrativo à função exercida pelos juízes e/ou pelos órgãos julgadores. Além disso, para assumir o cargo é necessária dedicação exclusiva, ou seja: o Bacharel não poderá advogar enquanto for Analista Judiciário.

 

Analista Judiciário – Administrativo: O analista judiciário de apoio administrativo tem funções voltadas para controle interno de recursos humanos, administração financeira, controle de contratações etc. Confere e redige documentos, cuida de contratos, presta apoio às outras áreas do Tribunal.

Analista Judiciário – Oficial de Justiça: Suas atribuições são: realizar diligências externas relacionadas com a prática de atos de comunicação processual e de execução, tais como: cumprir pessoalmente as ordens de citação, intimação, penhora, avaliação arresto e demais diligências próprias de seu ofício, certificando no mandado o ocorrido, com menção de lugar, dia e hora e dar plantões.

 

REQUISITOS:

 

·         Ser bacharel em ciências jurídicas.

·         Nacionalidade brasileira, nato ou naturalizado.

·         Estar em dia com as obrigações eleitorais e militares.

 

 

REMUNERAÇÃO: iniciais R$ 11.006,82 reais

 

 

DISCIPLINAS ESPECÍFICAS:

As principais disciplinas que devem receber atenção especial são: Para os TREs – Direito Eleitoral, Para os TRTs – Direito do Trabalho, e Direito Constitucional, Direito Administrativo e Direito Processual Civil para todos os tribunais.


As demais são: Direito Civil, Direito Penal, Direito Processual Penal, Direito Tributário, Direito Financeiro, Língua Portuguesa, Normas Aplicáveis aos Servidores Federais, Regimento Interno TRE RJ, Ética, Noções de Gestão Estratégica, de projetos e de processos, Noções de Sustentabilidade, Noções sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, Noções de Informática, Raciocínio Lógico, Resoluções, Arquivologia, Raciocínio Lógico Matemático e Informática,


 

ETAPAS DO CONCURSO:

O concurso tem apenas 1 etapa: Prova Objetiva.

 

O professor Jaime reforça que o concurso para analistas judiciários de tribunais e MPU tem alta concorrência e grande número de assuntos cobrados nas provas, por isso, deixa um recado aos futuros analistas jurídicos:

“Você precisa ter perseverança, confiança e dedicação, essas são as chaves do sucesso. É importante resolver muitas questões de provas anteriores e focar os estudos em livros específicos para concursos. Cursos preparatórios, com enfoque no edital, são muito importantes também”.

 

 

Conheça nossos Cursos Regulares Analistas e Técnicos dos tribunais e MPU e Retas Finais


Compartilhe este post

Voltar para Blog, Notícias e Concursos