Veja como funcionam os concursos públicos para Analista Jurídico!

Os concursos públicos para Analista Jurídico são muito disputados pelas pessoas que almejam um cargo público, e sonham em conquistar isso no menor tempo possível! Afinal, além de não exigir a carteira da OAB para a aceitação na vaga, também não é necessário possuir tempo de atividade jurídica para assumir esse posto.

Antes de você saber tudo sobre como funcionam os concursos públicos para Analista Jurídico, talvez você queira descobrir o que é um Analista Jurídico!

Leia mais:

Concurso Delegado de Polícia Federal: descubra tudo sobre o certame!

Concursos 2022: vagas e editais previstos

O que faz um Analista Jurídico?

Vamos começar pela pergunta que todos querem saber, que é o que faz o Analista Judiciário. Bom, dentro das atividades realizadas, existem os especialistas em cada área de atuação, e geralmente eles são aproveitados nos setores em que podem ter um melhor desempenho na função realizada.

Análise e elaboração de peças e contratos, elaboração de petições, realização de relatórios e pareceres, suporte jurídico especializado, acompanhamento de processos, dando suporte em editais de licitações muitas outras coisas! Essas são as principais atividades desenvolvidas por um analista judiciário.

O da Área Judiciária desempenha atividades de atendimento ao público referente a processos, redige e confere laudos, certidões, pareceres. Mas também existem analistas judiciários que podem trabalhar com o juiz. Eles podem servir nas especialidades Judiciária, Administrativa, Informática, Engenharia e Contábil.

Qual a média salarial de um Analista Judiciário?

Atualmente com os reajustes quem trabalha como analista jurídico recebe um salário médio de  de R$7.591,37, mas que pode chegar aos R$12.455,30.

Além disso, podem receber benefícios como auxílio alimentação (em torno de R$ 800,00).

Outro ponto muito importante da carreira de um analista jurídico são as horas trabalhadas, a jornada de trabalho é composta de 7 horas corridas, sem horário de almoço. Ainda é possível achar locais que cheguem a apenas 6 horas.

Um atrativo a mais para os estudantes e concurseiros que precisam de tempo para se dedicar nos estudos de uma outra carreira em novos concursos públicos.

10 temas mais cobrados

Requisitos dos concursos públicos para Analista Jurídico

Precisa apenas ser Bacharel em Direito.

Sim, este é mais um fator atraente para os concurseiros que desejam essa vaga! Não é preciso de OAB para ser analista jurídico, ou seja, apenas basta a colação de grau no curso de Direito reconhecido pelo Ministério da Educação.

Vale a pena lembrar que para o cargo de analista judiciário na área administrativa, é necessário o diploma de conclusão de curso em qualquer área, não obrigatoriamente no Direito. 

Quais as etapas dos concursos públicos para Analista Jurídico?

Os processos seletivos nos concursos públicos para analistas jurídicos geralmente são compostos de: Prova Objetiva de Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos da especialidade (geralmente de múltipla escolha) e Prova Discursiva (uma redação de 30 linhas sobre um assunto relacionado com a especialidade da vaga em disputa).

Veja como funciona um curso para concursos de Analista Jurídico!

Em outros exames também existe a possibilidade dos concurseiros serem submetidos à Inspeção Médica, Prova de Capacidade Física e Avaliação de Títulos como pré-requisitos para serem aprovados.

Nas provas geralmente são cobradas as seguintes disciplinas: 

– Língua Portuguesa

– Direito Administrativo

– Direito Constitucional

– Direito Penal

– Raciocínio Lógico e Matemático

– Noções de Direito das pessoas com deficiência

– Informática

Remoção dos analistas judiciários

Esse é um outro tópico muito importante, afinal, não são todos os cargos que permitem trocas, e essa é uma vantagem como servidor público federal de tribunais. A remoção, que não é algo fácil de ser feito e demanda tempo, é possível e legalmente pode ser adquirida pelo analista.

Existem inclusive fóruns na internet onde servidores de diversas regiões do Brasil podem se comunicar e estudar a possibilidade de uma troca.

Por exemplo, se você é um servidor que presta serviço ao Tribunal Regional Eleitoral e deseja ser transferido para o Tribunal Regional Federal, isso pode acontecer, basta achar outro servidor que aceite essa permuta.

Como conquistar uma vaga?

Se preparar e estudar com muita antecedência para o certame é a dica mais importante para conquistar uma vaga. Afinal, em um concurso público para Analista Jurídico que é tão disputado, é necessário estudar antes mesmo que o edital seja publicado. Se você estiver bem focado e preparado, com certeza aumentará e muito as suas chances de passar. 

Clique aqui e veja como ser aprovado para um concurso público de analista jurídico!

Carreiras Jurídicas