Guia de estudos para concursos jurídicos: 6 passos para a aprovação!

Durante a jornada rumo à aprovação nos concursos públicos, há muitas armadilhas que retardam ou impedem a concretização do sonho até do aluno mais dedicado, mas com esse guia de estudos para concursos jurídicos você vai descobrir todos os segredos daqueles chegaram a sonhada aprovação. Só aqui você vai aprender algumas técnicas de estudo comumente usadas pelos aprovados nos mais diversos concursos públicos do país, que podem ser utilizadas pelo concurseiro iniciante, desde o começo da sua preparação, a fim de ter um estudo mais eficaz.

Saber quais atitudes devem ser evitadas e que podem trazer prejuízo para a aprovação do candidato é muito importante. Erros são comuns, a trajetória não é linear. Existem percalços no caminho e, por isso, parar e reavaliar a estratégia de estudos durante a preparação faz parte do processo. 

Com o objetivo de auxiliar na preparação para concursos de alta performance, separamos um guia de estudos para concursos jurídicos com 6 dicas em ordem de importância que podem fazer a diferença na sua caminhada rumo à aprovação. Vamos nessa?

Leia mais:

Como usar mapas mentais e se dar bem nos estudos?

O que são planners de estudos jurídicos?

1 – Organize seu tempo

Os estudos jurídicos demandam muita constância, por isso estudar apenas quando dá não será tão eficiente e te impedirá de avançar no conteúdo. Para iniciar os estudos é fundamental a organização do tempo. Entender a sua rotina vai te ajudar a contabilizar quantas horas por dia efetivamente podem ser destinadas aos estudos, o que possibilitará o seu avanço no conteúdo e o aumento da produtividade em busca da aprovação.

A partir do momento em que você, estudante, se organiza, para e estuda, está de fato mostrando que tem comprometimento com o projeto de vida que desenhou para a sua vida: a tão sonhada aprovação no concurso público.

Seria muito interessante também que você listasse todas as tarefas que você fará no dia ou até mesmo pela semana. A maioria das pessoas não faz isso porque acha que estas listas as tornam “sistemáticas”, mas isso não é verdade. Especialistas e pessoas que passaram em grandes concursos dizem: fazer diferente da maioria fará com que você se destaque. Listados os itens, comece a ver o que é prioridade em sua lista.

Aí entra a Matriz de Eisenhower, para organização e gestão de tempo, de forma otimizada. De forma simples, pegue uma folha de papel e a divida em quatro partes, como se fizesse uma cruz. 

– No primeiro quadro, coloque suas tarefas que são urgentes e importantes.
– No segundo quadro da matriz, elenque as tarefas que são importantes, mas que não são improrrogáveis.
– No terceiro quadro, escreva aquelas tarefas que não são importantes, mas são urgentes.
– Por fim, no quarto quadro você irá elencar aquilo que não é importante e também não é urgente, ou seja, aquilo que você pode realmente eliminar do seu dia. 

Vale lembrar que: 

– tarefas importantes: são aquelas cujos resultados impactam diretamente as metas que você precisa cumprir e propósitos que deseja atingir;

– tarefas urgentes: costumam ter um prazo definido e exigem atenção imediata. Se não receberem o devido foco o quanto antes, pode haver consequências indesejáveis.

Após isso tire um tempo para agendar todas as suas tarefas de maneira simples, porém otimizada: por dia, por semana e por mês. Separe um dia para planejar e organizar estas tarefas e, quando for organizá-las, separe um dia no mês para fazer aquilo que só dá para fazer fora de casa, como ir ao shopping, fazer compras para casa, levar o pet ao veterinário, etc.

2 – Evite a procrastinação

Podemos de certa forma parecer repetitivos quando falamos deste assunto, mas a base para se ter um momento de estudo bem sucedido é evitando a procrastinação. Procrastinar é adiar, deixar de fazer o que você sabe que tem que ser feito hoje. E nos concursos de alto rendimento procrastinar não é uma opção!!

Quando sabemos que temos que fazer algo que não gostamos muito, nosso cérebro associa essa atividade à dor e direciona nossa atenção para algo mais prazeroso. A sensação imediata é de prazer, mas, a longo prazo, é de angústia por não termos feito algo que sabemos que deveríamos ter feito. Para você conseguir evitar alguma coisa, primeiro precisa entender os motivos e porque aquilo acontece. O seu hábito de procrastinar surge a partir de um gatilho ou um estímulo a alguma coisa. 

É possível evitar a procrastinação e aumentar a produtividade nos estudos, não deixando para amanhã o que você precisa realizar hoje quando você: Cria uma rotina, entra no fluxo e utiliza a técnica Pomodoro.

A procrastinação é um mau hábito. Portanto, quando falamos de criar uma rotina, a principal forma de lidar com ela é substituí-la por um bom hábito. E isso requer repetição. Então é necessário reprogramar a sua mente viciada em procrastinar para que ela aprenda a fazer automaticamente o que deve fazer, que neste momento é focar nos estudos. Mais a frente veremos de uma forma mais completa como montar uma rotina de estudos.

A partir do momento que você cria essa rotina, é necessário que você entre no fluxo e não tenha vontade de desistir. Sua cabeça sempre tem que estar com foco na aprovação!

Por fim, para você evitar a  procrastinação é fundamental que você utilize a técnica Pomodoro. Para isso, você precisa focar 25 minutos ininterruptos de concentração “turbinada”, seguidos de um pouco de relaxamento. Sugerimos 25 minutos, porque a maior parte das pessoas consegue manter a concentração por esse tempo, mas você pode definir outro. Depois de cada período, tire um tempinho para relaxar e pensar em outras coisas além dos estudos.

3 – Crie uma rotina de estudos

Esse é um tópico que na maioria das vezes os concurseiros sentem uma dificuldade enorme de seguir na hora de estudar, criar uma rotina. Como já foi dito anteriormente, estudar para concurso exige uma preparação de longo prazo.

Sem que os seus horários e matérias estejam muito bem definidos para estudo diário, qualquer outro motivo e compromisso faz com que os livros sejam deixados para depois e esse depois nunca vai chegar. E quando finalmente você conseguir um tempo para ler, vai estar cansado ou provavelmente com o tempo apertado.

Fazendo um bom cronograma e tendo um cantinho adequado para os estudos já vai fazer com que o seu rendimento seja incrivelmente maior. Quer saber mais? Veja quais são as 10 dicas para criar uma rotina de estudos.

4 – Defina metas

Para o concurseiro que está em busca da aprovação, definir quais são as suas metas na hora do estudo é a coisa mais importante a se fazer, afinal, estudar para concurso público requer, sobretudo, foco no objetivo final.

Uma meta bem estabelecida tem o poder ditar o ritmo de estudos e quais ações tomar durante a jornada de estudos. Diariamente essa definição de metas vai fazer com que o concurseiro se sinta muito motivado.

Primeiro defina as metas a curto prazo, fazendo uma breve descrição de quais são as etapas necessárias para se alcançar um objetivo final. Leve sempre em consideração tópicos como a complexidade do assunto, o material disponível para que você se debruce sobre ele e os temas abordados. Com o passar do tempo, sinta-se à vontade para estabelecer metas mais ousadas, e que seja realmente possível colocá-las em prática. 

Um modelo muito interessante para os estudantes seguirem é método SMART, essencial para construir objetivos e organizar um planejamento. SMART é um acrônimo para Specific, Measure, Achievable, Relevant e Time-based (Específico, Mensurável, Alcançável, Relevante e Baseado em Tempo). O método serve para criar metas específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes de acordo com o tempo traçado.

Então agora pense nessas duas perguntas e escreva no papel as respostas! Para qual concurso você deseja estudar? Nesse sentido, qual é o cargo que você quer assumir e que sempre sonhou? Escreveu? Agora atenha-se às respostas e se mantenha firme com elas. Afinal, para o concurseiro que tem um foco bem definido, não basta apenas escrever “passar em um concurso”, quanto mais específico for, melhor é o objetivo.

Agora que você já definiu quais são as suas metas para os estudos, basta seguir a ordem das siglas SMART e construir um bom planejamento. 

5 – Crie Mapas Mentais

Você sabe o que são mapas mentais e para que servem essas técnicas de aprendizado durante a jornada de estudos? Não? Durante os longos períodos de estudos recebemos milhares de informações, e os mapas mentais servem para organizar o conteúdo, ajudando na memorização e facilitando a leitura através de associações.

Por muitas vezes quem está estudando para concurso precisa melhorar a produtividade, mas não sabe como. E os mapas mentais são um ótimo método para amarrar o conteúdo aprendido e se dar bem nos concursos.

Mapa mental é uma técnica geralmente relacionada ao popular psicólogo inglês, Tony Buzan.

Embora abordagens semelhantes tenham sido usadas para conceituar ideias de Aristóteles, por Leonardo da Vinci e por Picasso, o psicólogo inglês popularizou e esquematizou os mapas mentais nas décadas de 1960 e 1970, que seria uma espécie de um diagrama, um resumo que é construído a partir de uma ideia central, e vai crescendo em várias ramificações.

Assim como os neurônios do nosso cérebro, essas ramificações são desdobramentos criados a partir de uma informação inicial, construída com símbolos, setas, cores e balõezinhos, a fim de ordenar o conteúdo e facilitar as associações entre as informações destacadas.

Em ordem para criar um mapa mental, você geralmente começa no meio da página com o tema ou ideia principal e a partir desse ponto você trabalha para fora em todas as direções para criar um diagrama crescente composto de palavras-chave, frases, conceitos, fatos e números.

Esse tipo de resumo é o modo ideal para alunos que possuem facilidade de aprender melhor a matéria de forma visual.

Para alcançar níveis mais elevados de concentração e criatividade, juntamente com uma maior organização dentro dos estudos, os mapas mentais podem ser uma estratégia eficaz para você considerar.

Veja agora um passo a passo para construir um mapa mental:

1) Coloque a ideia principal do seu objeto de estudo no centro da página e use pensamentos radiantes (comece do centro e irradie para fora). De preferência a uma folha em branco e faça as anotações preferencialmente de forma horizontal (orientação paisagem).

2) Use símbolos, códigos, linhas, setas, balões de fala, ramos e cores diferentes como formas de mostrar conexão entre o tema central e suas ideias que derivam desse foco. As relações criadas são fundamentais para o aprendizado.

3) Não é necessário se criar uma obra-prima. Você deve desenhar rapidamente, sem grandes pausas ou edição. Provavelmente, sua primeira ideia foi boa e você a colocou na direção ou o ramo que você achou que fazia mais sentido. É importante nos estágios iniciais do brainstorm esse mapeamento para considerar todas as possibilidades, mesmo aquelas que você não pode usar posteriormente.

4) Escolha cores diferentes para simbolizar coisas diferentes, elas vão estimular a capacidade visual e criativa do seu cérebro e o ajudarão a se divertir ao longo dessa construção. Utilize ao menos 3 cores. Você pode escolher amarelo para algo que você deve incorporar na sua folha de papel, verde para outras boas ideias futuras e vermelho para coisas que você precisa pesquisar. Seu método depende inteiramente de você, mas tente permanecer consistente na utilização dessas cores.

5) Reveja seu mapa mental depois de completo, não imediatamente, mas assim que seus pensamentos tiverem tempo para se estabelecer. Além disso, deixe algum espaço em sua página. Você pode continuar a adicionar assuntos e conexões em seu diagrama ao longo de um período de tempo. Se o papel de tamanho A4 parecer muito pequeno, você pode preferir usar um A3.

6 – Resolva o máximo de questões e consulte editais passados!

Por fim, é importantíssimo que você se dedique a resolver questões, já que esse é um jeito extremamente eficiente de fazer revisão para as provas. Neste guia de estudos para concursos jurídicos trazemos também a importância que o concurseiro use simulados anteriores e outras provas para treinar fórmulas, leis e conceitos que você aprendeu. É durante a resolução desses exercícios que você mais vai exercitar o cérebro, aumentando e muito a capacidade de memorizar o assunto, afinal, sem esse cuidado, você corre o risco de esquecer o assunto em pouco tempo ou não entender todas as suas aplicações daquele tema.

Outra forma eficaz de resolver essas questões é marcando todas as que errou para revisitar e estudar melhor os assuntos que você deixou a desejar. Identificar de cara os erros e trabalhar em cima deles é uma etapa fundamental para mandar bem nos concursos públicos e conseguir a aprovação. Veja abaixo 3 dos motivos porque resolver o máximo de questões possíveis é tão importante assim:

A – Conhecer a banca examinadora

B – Monitoramento do aproveitamento 

C – Observar o tempo gasto durante a prova

carreiras jurídicas 5