Como aprender com as reprovações nos concursos públicos?

Para se obter sucesso é muito importante saber com reprovações nos concursos públicos, afinal, o mundo do concurseiro é de altos e baixos, possivelmente, mais baixos do que altos. Mesmo sabendo disso, é difícil reunir forças para recomeçar após enfrentar uma reprovação, especialmente, após meses ou anos de preparação e de sacrifício.

Para aqueles que estão na jornada de preparação com seriedade, as reprovações nos concursos públicos resultam em enorme frustração. Contudo, são um obstáculo que todo concurseiro passou ou vai passar algum dia.

Aproveite e veja o relato do nosso professor Érico Teixeira, mostrando os caminhos para o sucesso.

Leia também:

O que é a Prova de Títulos em um concurso público?

Ministério Público: confira 10 curiosidades!

Portanto, ainda que se trate de um momento de desânimo, é preciso extrair o melhor da situação, para performar melhor, após superar o momento de instabilidade.

Reprovei em mais um concurso e agora como lidar com isso? Um novo recomeço: um guia para superar reprovações.

Vamos a algumas dicas:

1. Corrigir toda a prova

Não basta conferir o gabarito, é necessário analisar cada questão, conferindo os erros e fazendo uma análise pormenorizada dos pontos de maior dificuldade.

2. Reorganizar os estudos de acordo com a análise da prova

Com a análise dos pontos de maior dificuldade na prova, é possível delimitar quais matérias precisam de mais atenção, definindo os pontos em que os estudos estão dando resultado ou não.

Ademais, após corrigir a prova de forma detalhada, é possível verificar qual elemento de aprendizado está demonstrando pior resultado, ou seja, se a maior parte dos erros foram cometidos em questões que cobraram doutrina, jurisprudência ou legislação.

3. Adequação do método de estudo

Além disso, o concurseiro pode definir o que tem mostrado resultados em termos de metodologia adotada e aquilo que precisa ser aprimorado. Com isso, é possível o constante aprimoramento dos estudos, a fim de alavancar os resultados nas provas posteriores.

4. Avalie o principal motivo das reprovações nos concursos públicos

Por fim, faça uma avaliação franca sobre o fator preponderante para que o seu desempenho não atingisse o necessário para aprovação. Dentre outros, os fatores podem ser:

  •  Pouco tempo de estudo. Quando o candidato começa no mundo dos concursos é comum fazer provas sem que tenha sido possível estudar a maior parte do conteúdo. Nesse caso, o ideal é continuar avançando e analisando a prova para aprimorar o que for possível.
  •  Inadequação do método. O resultado insatisfatório pode indicar que o aluno está “estudando errado”, o que pode decorrer da escolha de materiais errados ou mesmo de prioridades de estudo equivocadas. Por exemplo, o aluno pode dominar a doutrina, mas negligenciar o estudo da lei seca. Para evitar esse tipo de erro, o portal do curso Ênfase conta com elementos de aprendizagem que vão de videoaulas até legislação e jurisprudência selecionadas.
  •  Nervosismo. Ao analisar a prova, o candidato pode perceber que os erros não foram por falta de conhecimento, mas sim em decorrência da apreensão e do nervosismo durante a realização da prova. Nesse caso, é importante simular situações de prova com maior frequência, para naturalizar o corpo e a mente para esse momento. Contudo, quando o nervosismo for muito elevado, é indicado buscar ajuda com profissional que pode avaliar a necessidade de terapia.
  •  Simplesmente não era pra ser. Por vezes, o desempenho é bom, o número de acertos é alto, o candidato bate na trave da aprovação e, analisando a prova, ainda que encontre alguns pontos de melhoria, consegue perceber o progresso em relação aos certames anteriores. Nesses casos, o candidato está muito próximo à aprovação. Força! Não desista agora! Se possível, será necessário refinar ainda mais os estudos, mas é sinal de que está no caminho certo e a aprovação virá.

O percurso pode ser longo e cheio de obstáculos, mas estamos com você rumo à posse!

carreiras jurídicas 5